Menu

Estádio do Rio Ave Futebol Clube
Rua Dom Sancho I
4480-876 Vila do Conde

Telefone Geral
252 640 590

Rio Ave Store Estádio
Morada:
Rua D.Sancho I – Estádio do Rio Ave Futebol Clube
Horário:
9h30 às 12h30 e das 15h às 19h (terça feira a sexta feira)
10h à 13h e das 15h às 18h30 (sábado)

E-mail:
[email protected]

“Sonho, no próximo ano, jogar na equipa principal do Rio Ave”

Do futsal para o futebol de onze, Nélson Monte é hoje uma das referências da equipa de Juniores do Rio Ave. O Internacional sub-19 passa pelos anos de formação, aborda a presente época e projecta o futuro. Em todo o percurso existe um denominador comum, o Rio Ave FC e a cidade de Vila do Conde. 

 

RAFC – Na tua formação começaste muito novo, no Caxinas, passaste pelo Benfica e agora estás no Rio Ave. Como foi este processo?

Nélson Monte – Sou aqui de Vila do Conde, tinha alguns amigos no Caxinas, no futsal, e ,por isso, quando tinha 6 anos fui para lá jogar. Aos 12 fui fazer uns treinos de captação para o Benfica, eles gostaram de mim, quiseram-me e acabei por ir para lá jogar.

                A passagem do futsal para o futebol foi difícil, tive de me habituar a estar longe de casa e habituar-me ao futebol também. Mesmo sendo pivot na quadra e central no relvado.

                O ano passado fiz a pré-época ainda no Benfica, mas percebi que não ia ter espaço e pedi transferência. Havia mais alguns clubes de 1ª Liga interessados, mas optei pelo Rio Ave por ser o clube da minha terra e também pelo projecto que me apresentaram.

 

RAFC – Que diferenças encontraste nos clubes por onde passaste?

Nélson Monte – As estruturas são diferentes, a envolvência, os grupos, mas há uma coisa que acho que distingue o Benfica do Rio Ave, os adeptos. No Benfica, tínhamos sempre adeptos em todos os campos, mas aqui as pessoas sentem mais o clube, vibram mais com as vitórias e puxam mais por nós

 

RAFC – Passando a um passado mais próximo, como é que olhas para o último ano, o primeiro no Rio Ave FC?

Nélson Monte – Vim para o Rio Ave com o objectivo de jogar e ser utilizado, mas ao início não estava a ser fácil. A equipa estava a jogar bem, os objectivos cumpridos e os resultados a aparecer. Mas acabei por ter a minha oportunidade fiz tudo para agarrá-la e quando conquistei a titularidade não a larguei mais.

                Muito importante para isto, para que conseguisse o meu lugar, foi o grupo que formamos aqui no ano passado. Foi, sem dúvida nenhuma o melhor plantel com que trabalhei, em qualidade, mas sobretudo a nível humano.

 

RAFC – E esta época, qual é a análise que fazes até agora?

Nélson Monte – Chegamos a esta época com muita vontade e com grande motivação. Infelizmente as coisas não estavam a correr exactamente como queríamos, mas agora estão a melhorar. Ainda falta muito campeonato e, por isso, vamos a tempo de recuperar alguma falha inicial.

 

RAFC – Qual foi o melhor colega de defesa que…

Nélson Monte – O Silvério, somos amigos, já nos conhecíamos e estamos em sintonia no campo (Disse o jovem central prontamente)

 

RAFC – Quais são os teus sonhos para o futuro?

Nélson Monte – Tenho muitos, mas o que quero concretizar mais depressa é chegar à equipa principal do Rio Ave. Cada vez mais, por ser uma equipa afirmada na primeira divisão e por se estar a tornar um grande clube, todos temos esse sonho.

                Depois, não sou diferente dos outros jogadores, todos queremos jogar nas melhores equipas do mundo e representar os nossos países na Selecção Principal.

 

RAFC – Em relação à equipa principal do Rio Ave FC, tens alguma referência?

Nélson Monte – Sim, gosto muito do Marcelo. O ano passado, quando tive oportunidade de trabalhar com eles, também gostei muito do treinador, sabe perceber os jogadores e percebe muito de futebol.

 

RAFC – Desviando a conversa para a Selecção, estiveste agora a representar os sub-19 de Portugal, pela primeira vez, e foste totalista nos três jogos. O que é que isto representa?

Nélson Monte – Acredito que acima de tudo é uma recompensa e um sinal de que o meu trabalho e o meu esforço estão a ser reconhecidos. Foi por isto que aos 12 anos saí de casa da minha família e deixei tudo o que conhecia, foi para jogar futebol.

                Depois de estar lá, nunca pensei que fosse titular nos três jogos, o treinador estava a gostar de mim, mas não contava fazer mais que um jogo. Foi muito bom.

 

RAFC – Sentes que no plantel de Juniores do Rio Ave FC jogam outros jogadores capazes de representar a Selecção Nacional.

Nélson Monte – Sim, claro, o próprio seleccionador elogiou a nossa equipa e os meus companheiros e, penso que alguns podem lá chegar.

 

RAFC – Para terminar, fora do futebol, dos treinos e dos jogos, o que é gostas mais de fazer?

Nélson Monte – Gosto muito de estar com a minha namorada, com os amigos, gosto de jogar poker. AH, e sou viciado em jogar FIFA.

                Fora isso, só penso no futebol, quero que seja o meu futuro.