A melhor defesa em 4 décadas!

Podia ser apenas mais um dos já muitos registos positivos que a presente temporada tem trazido à história do Rio Ave FC. Esta tem sido, de facto, uma das melhores épocas dos vilacondenses no principal escalão do futebol português, e com tão boas prestações é natural que alguns recordes e feitos comecem a ser igualados ou, até mesmo, ultrapassados.

Colocar o Rio Ave FC, após 24 jornadas, num top3 do campeonato não será, pelo menos no presente, tarefa fácil face à coexistência com clubes que, com maiores orçamentos, podem investir muito mais e que, por isso, estarão sempre predestinados aos lugares mais elevados. Ainda assim, desafiar as ‘odds’ e derrubar muros sempre foi apanágio deste Clube e do seu povo que, no relvado como no mar, orgulhosamente se revestiu sempre da maior bravura.

Até à suspensão da Liga NOS 19/20, no mês de Março, haviam já decorrido 24 jornadas. O Rio Ave FC, com 38 pontos, pauta-se pelo 5º lugar, e detém um dos números mais surpreendentes nesta fase do campeonato. Além de estar já há nove (9!) jornadas consecutivas sem perder, tendo neste momento igualado o melhor registo deste género de sempre (também verificado em 81/82), o Rio Ave FC tem ainda a 3ª melhor defesa da prova, com uma média de menos de um golo sofrido por jornada, num total de 23 em 24 partidas.

É preciso recuar até à brilhante época de 1981/1982 para encontrar melhor registo que este no mesmo patamar da competição. À época, a equipa de Felix Mourinho, que terminou num brilhante e inédito 5º lugar, tinha apenas 19 golos consentidos em 24 jogos. Figuravam nesse conjunto nomes como os do ‘eterno capitão’ Duarte Sá, Baltemar Brito, Mário Reis, Paquito, Quim ou de um jovem desconhecido talhado para o sucesso: José Mourinho.

Há quase 40 anos, portanto, que o Rio Ave FC não sofria menos golos do que agora. Um mérito partilhado por todo o plantel e equipa técnica, fruto de um trabalho de excelência, diário com certeza, que tem dado os seus frutos e potenciado o desenvolvimento de todos e do Clube. Mérito de todos e de cada um, especialmente centrado em defesas e guarda-redes, que têm defendido como ninguém a baliza rioavista. Histórico!

Esta época, várias têm sido as ocasiões em que a baliza ficou mesmo a ‘zeros’. Em 8 dos 24 jogos, a baliza que, na Liga NOS, esteve sempre a cargo de Pawel Kieszek, não sofreu qualquer golo.

No futebol há quem diga que a melhor defesa é ter um bom ataque. Felizmente, no Rio Ave FC, temos os dois.