A justa vitória que se ansiava

Há muito que o Rio Ave FC reclamava o justo final de ciclo sem vencer no campeonato, e os deuses do futebol deixaram finalmente que o trabalho incansável dos rioavistas garantisse os três pontos.

Ao receber o Boavista FC, os vilacondenses estavam já injustamente no último lugar da tabela, depois de um ciclo em nada condizente com as exibições que, grosso modo, a equipa de Luís Freire foi protagonizando.

Mas a tempestade passou e os primeiros raios de sol deste domingo auguravam a merecida bonança.

Poder-se-á dizer que o Rio Ave FC começou a ganhar o jogo ainda no balneário, após uma emotiva e moralizante preleção de Ukra que galvanizou o grupo de trabalho para a batalha importante frente aos boavisteiros.

Notou-se em campo a atitude irrepreensível em cada duelo, com a coragem que é reconhecida aos rioavistas perante qualquer dificuldade.

O Rio Ave FC protagonizou boa primeira parte, coroada com o golo de Fábio Ronaldo, aos 37 minutos, na sequência de excelente cruzamento de Costinha para um salto impressionante do jovem 77 vilacondense, quase parando no ar para cabecear para o fundo das redes axadrezadas.

Vantagem que poderia ter sido dilatada à beira do intervalo, num lance onde Boateng aparece bem posicionada mas atira ao lado.

O avançado ganês que haveria de ser letal no arranque da segunda metade. Aos 47 minutos, e após remate forte de André Pereira com direito a defesa incompleta do guardião forasteiro, Boateng foi na recarga encostar para o 2-0 que deixava o estádio em ebulição. Grande momento!

O Boavista FC foi quase sempre impotente para colocar a vantagem rioavista em perigo, apesar de um golo anulado aos 71 minutos. Com efeito, o avançado boavisteiro tira partido da posição de fora-de-jogo para recuperar bola interceptada mas não dominada por André Pereira. Sem margem para dúvidas.

O mesmo não se pode dizer da ostensiva carga de Salvador Agra sobre Ventura aos 78 minutos, na grande área boavisteira. Grande penalidade por assinalar (lembrar ainda a perceção de penálti sobre Fábio Ronaldo aos 23 minutos, mas que culminou com amarelo para o avançado rioavista – simulação não foi garantidamente – ).

Os últimos minutos foram de contenção para o Rio Ave FC segurar a vantagem e fê-lo com mestria, vendo ainda Jhonatan brilhar num par de ocasiões.

Vitória indiscutível da melhor equipa em campo, que controlou o jogo em vantagem e não deixou margem para dúvidas no resultado final.

O Rio Ave FC volta a comungar do triunfo com os seus adeptos, incansáveis no apoio e na confiança à equipa. Seguimos juntos!

Na próxima ronda da Liga Portugal Betclic, o Rio Ave FC joga em casa do Gil Vicente.

Jogo no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde
Árbitro: Cláudio Pereira
Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Fábio Ronaldo (37) e Boateng (47).
Acção disciplinar: cartão amarelo a Fábio Ronaldo (23), André Pereira (40), Chidozie (42), Boateng (45+3), De Santis (82).

Rio Ave FC 2
Jhonatan, Costinha, Josué, Santos, Miguel Nóbrega, Fábio Ronaldo, Amine, Guga, Ventura, Boateng e André Pereira
Substituições: André Pereira por Zé Manuel (71), Ventura por Hernâni (80), Fábio Ronaldo por Pantalon (90), Amine por Vitor Gomes (90) e Miguel Nóbrega por Patrick William (90).
Suplentes não utilizados: Magrão, Ruiz, Ukra e João Graça.
Treinador: Luís Freire

Boavista FC 0
João Gonçalves, Salvador, Chidozie, Rodrigo, Bruno, Makouta, Seba Perez, Reisinho, Masa, Morais e Bozenik
Substituições: Masa por Dos Santos (61), Bruno por Berna (82), Seba Perez por De Santis (82), Reisinho por Vukotic (90) e Salvador por Bruno Lourenço (90).
Suplentes não utilizados: Luis Pires, Joel Silva, Filipe Ferreira e Sasso.
Treinador: Petit