Rio Ave FC esteve perto de vitória merecida

As probabilidades de sucesso atribuídas aos rioavistas eram poucas mas a equipa de Luís Freire fez questão de mostrar que o futebol não é ciência exacta e que, lá dentro, tudo é possível.

Numa noite onde o maior vendaval que se fez sentir foi a qualidade demonstrada pelos jogadores da casa, o Rio Ave FC adiantou-se cedo no marcador num lance que salta directamente para a galeria dos mais espectaculares do campeonato.

Umaro Embaló arrancou no um para um com sucesso pelo flanco esquerdo, puxou a bola a jeito do seu pé direito e sacou remate em arco que só parou no fundo da baliza leonina. Fantástico golo do avançado vilacondense a fazer milhares de rioavistas vibrarem na bancada (a este respeito, diga-se, o Rio Ave FC jogou mesmo em casa).

Reagiu muito forte o Sporting CP que conseguiu, aos 9 minutos, empatar por Hjulmand num remate de primeira à entrada da área.

Os minutos seguintes foram de Jhonatan. O guardião rioavista realizou conjunto de defesas de dificuldade elevada e manteve o jogo empatado.

Aos 31 minutos, Aziz surpreendeu Adán e assistiu depois Umaro Embaló. O camisola 11 acabou por finalizar mal e gorou-se oportunidade soberana para novo golo do Rio Ave FC.

Desperdício que se repetiu aos 36 minutos. Grande jogada de entendimento rioavista pela esquerda, Vrousai assistiu Fábio Ronaldo que desviou de Adán mas acertou no poste.

Havia por esta altura mais Rio Ave FC em campo mas a infelicidade bateu à porta de Amine, aos 44 minutos, quando um atraso mal medido acabou por deixar Gyokeres isolado. O letal avançado leonino não falhou e colocou o Sporting CP na frente do marcador.

Ainda antes do intervalo, Costinha seria derrubado em falta por Nuno Santos. Grande penalidade clara que Aziz, chamado à conversão, não falhou, restabelecendo uma igualdade merecida em tempo de descanso.

No segundo tempo, a palestra de Luís Freire e a ambição da equipa fizeram-se sentir e o Rio Ave FC voltou à frente do resultado com novo penálti aos 65 minutos. Aziz foi derrubado por Adán e no frente a frente voltou a ganhar o confronto. 3-2 para os rioavistas.

Desesperava-se o Sporting CP que, já com o central Coates a fazer de ponta-de-lança, conseguiria nova igualdade. Um cruzamento de Morita encontrou a cabeça do defesa uruguaio que bateu Jhonatan para o 3-3.

Jogo louco em Vila do Conde que acabaria sem mais golos mas com a expulsão de Pantalon a condicionar o Rio Ave FC nos últimos instantes da partida.

Ponto importante que fez o Rio Ave FC colar-se a Estoril, Estrela da Amadora e Portimonense, todos com 22 pontos.

Na próxima jornada, Moreira de Cónegos é o destino dos rioavistas (sábado, 15h30).

Jogo no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde
Árbitro: André Narciso
Ao intervalo: 2-2
Marcadores: Umaro Embaló (3), Hjulmand (9), Gyokeres (44), Aziz (45+4 e 67, ambos de g.p.) e Coates (73).
Acção disciplinar: cartão amarelo a Umaro Embaló (6), St.Juste (6), João Graça (60), Geny (63), Diomande (75), Pantalon (80 e 90+1), Vitor Gomes (83) e Costinha (90+4). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, a Pantalon (90+1).

Rio Ave FC 3
Jhonatan, Costinha, Pantalon, Josué, Miguel Nóbrega, Vrousai, Amine, João Graça, Umaro Embaló, Fábio Ronaldo e Aziz
Substituições: João Graça por Adrien Silva (64), Amine por Vitor Gomes (81), Umaro Embaló por Joca (85) e Fábio Ronaldo por João Teixeira (85).
Suplentes não utilizados: Lucas Flores, Patrick William, Ruiz, Hélder Sá e Zé Manuel.
Treinador: Luís Freire

Sporting CP 3
Adán, Coates, Morita, Pedro Gonçalves, Gyokeres, Nuno Santos, Trincão, Geny, Gonçalo Inácio, Diomande e Hjulmand
Substituições: Trincão por Edwards (45), Gonçalo Inácio por Eduardo Quaresma (46) e Nuno Santos por Matheus Reis (61).
Suplentes não utilizados: Israel, St.Juste, Neto, Daniel Bragança, Ricardo Esgaio e Koindredi.
Treinador: Rúben Amorim