A teima do empate

O Rio Ave FC empatou pela quarta vez consecutiva no campeonato.

Se decerto haverá quem lamente nova oportunidade de vitória perdida, também haverá quem lembre que é mais um ponto somado e uma jornada sem derrotas. Nesta dicotomia de sentimentos, torna-se difícil não lamentar que o apoio dos rioavistas não tenha mais uma vez sido coroado com a vitória.

Na realidade, a exibição dos rioavistas ficou aquém do que já foi possível fazer noutras jornadas, tal como Luís Freire resumiu no final da partida, mas fica a reação da equipa a um golo sofrido em casa e a busca por maior felicidade.

Numa tarde solarenga de Dezembro, a partida não começou sem duas homenagens: primeiro Costinha, por ter alcançado os 100 jogos no Clube, que recebeu das mãos do presidente-adjunto Henrique Maia uma camisola evocativa do feito, depois uma salva de palmas geral à memória de Paquito, eterno rioavista que nos deixou esta semana depois de uma vida dedicada ao Clube da sua cidade.

No plano efectivo do que aconteceu dentro das quatro linhas, registe-se uma primeira parte parca em oportunidades de golo, mas equilibrada.

O Vizela ameaçou primeiro, com um golo anulado a Essende, por fora de jogo, já depois de Jhonatan evitar o golo a Méndez.

Respondeu o Rio Ave FC por Amine, com um remate forte a passar perto da baliza forasteira, e logo o Vizela voltou a testar Jhonatan, que defendeu a dois tempos remate forte de Essende.

Antes do intervalo houve ocasião soberana para Boateng. O ganês recebeu e rodou bem sobre a marcação mas depois o remate saiu ao lado da baliza vizelense.

A segunda parte não começou bem para os vilacondenses já que aos 55 minutos o Vizela adiantou-se no marcador. Um golo acrobático de Essende após cruzamento de Tomás Silva.

Luís Freire respondeu com tripla substituição e o Rio Ave FC animou-se, chegando à igualdade aos 72 minutos. Costinha cruzou pela direita e Boateng surgiu de trás, com ímpeto, a cabecear para um golo de belo efeito.

A expulsão de Lacava, por acumulação de amarelos, aos 74 minutos, abria o apetite para os rioavistas irem à procura duma ceia mais festiva que, diga-se, esteve perto de ser servida por duas vezes: aos 90’ Ruiz rematou e beneficiou de um desvio para colocar à prova os reflexos de Buntic e na compensação novamente o guardião do Vizela a evitar o golo do colombiano com uma estirada impressionante.

O empate acaba por se aceitar face ao que foi o encontro, pese embora uma última meia hora mais forte dos rioavistas que poderia ter tido desfecho mais feliz.

Na próxima jornada o Rio Ave FC joga em Guimarães, diante do Vitória SC (sábado, 23 de Dezembro, às 15h30).

Jogo no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde
Árbitro: Gustavo Correia
Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Essende (55) e Boateng (72).
Acção disciplinar: cartão amarelo a Boateng (37), Rodrigo Escoval (45+1), André Pereira (50), Matias Lacava (52 e 74) e Josué (63). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, a Matias Lacava (74).

Rio Ave FC 1
Jhonatan, Costinha, Josué, Santos, Miguel Nóbrega, Fábio Ronaldo, Amine, Guga, Joca, Boateng e André Pereira
Substituições: Amine por João Graça (60), Joca por Hernâni (60), André Pereira por Ruiz (60), Miguel Nóbrega por Frederico Namora (68), Fábio Ronaldo por Zé Manuel (85).
Suplentes não utilizados: Magrão, Vitor Gomes, Ventura e Pantalon.
Treinador: Luís Freire

FC Vizela 1
Buntic, Tomás, Rodrigo Escoval, Anderson, Bruno Wilson, Matias Lacava, Samu, Diogo Nascimento, Pedro Ortiz, Mendez e Essende
Substituições: Pedro Ortiz por Matheus Pereira (67), Mendez por Busnic (67), Rodrigo Escoval por Lebedenko (78), Diogo Nascimento por Rashid (88) e Samu por Jardel (88).
Suplentes não utilizados: Ruberto, Hugo Oliveira, Unzueta e Ramos.
Treinador: Pablo Villar