Domínio rioavista pedia vitória

O Rio Ave FC voltou à competição três semanas depois para receber o Estrela da Amadora, na 12ª jornada da Liga Portugal Betclic.

Em casa, os vilacondenses procuravam recuperar o bom momento que criaram antes da paragem, e demonstraram estar alinhados com a mentalidade pedida por Luís Freire.

Se é verdade que os primeiros 45 minutos acabaram por ser pobres em oportunidades junto às balizas, também é factual que a grande situação de perigo foi criada pelo Rio Ave FC que, aos 15 minutos, viu André Pereira atirar rasteiro muito próximo do poste esquerdo da baliza forasteira. Um desvio crucial de um defesa acabou por impedir a festa dos vilacondenses.

Antes do intervalo, lance capital que deixou incrédulo todo o estádio. Numa bola enviada para o coração da área, Boateng procurou o desvio de cabeça e viu depois um defesa contrário cortar a bola com a mão e evitando assim que a mesma se dirigisse para a baliza. Lance claro de golo evitado com um braço aberto a fazer o corpo ganhar volumetria. Se é compreensível que a equipa de arbitragem no campo, pela velocidade do lance, não se tenha apercebido, torna-se impossível aceitar que Rui Oliveira, no VAR, não tenha chamado Nuno Almeida para rever o lance.

A segunda parte teve sentido único. A equipa de Luís Freire não permitiu qualquer remate enquadrado à equipa do Estrela da Amadora, em todo o jogo, e acumulou uma mão cheia de oportunidades.

O primeiro sinal de perigo aconteceu aos 52 minutos. Fábio Ronaldo recebeu de Joca pela esquerda e cruzou com precisão para uma finalização infeliz de Boateng que não conseguiu desviar para o fundo das redes.

Hernâni, que entrou aos 61 minutos, foi catalisador de um ímpeto ofensivo ainda mais acutilante da equipa vilacondense, e protagonizou lances que preconizavam o golo rioavista. Aos 67, rematou às malhas laterais, e aos 80 atirou uma bomba de fora de área que o guardião Wagner defendeu com grande dificuldade. Pelo meio, Zé Manuel ainda teve oportunidade de visar a baliza visitante mas atirou ligeiramente ao lado.

O golo do Rio Ave FC acabaria por acontecer aos 81 minutos. Hernâni cruzou pela direita com elevada precisão e Santos saltou mais alto que os contrários para desviar com sucesso. A festa rebentou a dois tempos, uma vez que o lance ainda foi anulado por pretenso fora de jogo mas as linhas esclareceram a posição legal do central verde e branco.

O que o Rio Ave FC não merecia e, diga-se de passagem, também o Estrela, era que aos 86 minutos um cruzamento pela direita do ataque forasteiro acabasse desviado por Josué para a própria baliza. Murro no estômago completamente imerecido para o central rioavista e para a equipa que mais e melhor jogou durante todo o encontro.

O resultado não mais se alterou e houve assim divisão de pontos, apesar duma estatística geral que mostrou que o encontro foi mesmo de sentido único, não obstante as análises pós-jogo mais criativas.

Terceira jornada consecutiva sem perder no campeonato para o Rio Ave FC, que mais uma vez sentiu a força e apoio dos seus adeptos que desafiaram o frio e empenharam-se em torno da equipa durante todo o jogo.

Na próxima ronda voltamos a contar com o apoio deles na deslocação a Arouca, para a 13ª jornada da 1ª Liga.

Jogo no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde
Árbitro: Nuno Almeida
Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Santos (81) e Josué (a.g. 86)
Acção disciplinar: cartão amarelo a Amine (20), Ronald (24), Guga (65), Miguel Nóbrega (90) e João Graça (90+4).

Rio Ave FC 1
Jhonatan, Costinha, Josué, Santos, Miguel Nóbrega, Fábio Ronaldo, Amine, Guga, Joca, Boateng e André Pereira
Substituições: André Pereira por Hernâni (61), Joca por Zé Manuel (71), Amine por João Graça (89) e Josué por Pantalon (89).
Suplentes não utilizados: Magrão, Vitor Gomes, Ruiz, Ventura e Namora.
Treinador: Luís Freire

CF Estrela da Amadora 1
Wagner, Jean Felipe, Hevertton, Erivaldo, Kialonda, João Reis, Vitó, Leonardo, Ronald, André e Kikas
Substituições: Kikas por Regis (72), Ronald por Gustavo (72), João Reis por Keliano (89), Vitó por Shinga (89) e André por Ndour (90+1)
Suplentes não utilizados: Edmilson, Manu, Brenner e Euri.
Treinador: Sérgio Vieira