Rio Ave FC de luto por Paquito

O dia começou hoje mais negro com a triste notícia do falecimento de Francisco Saura.

Vítima de doença prolongada, aos 63 anos, o nosso Paquito deixa-nos após uma vida de entrega e compromisso com o Rio Ave FC, primeiro como jogador que foi do nosso futebol de formação e equipa principal, mais tarde como treinador que era no Clube já há 17 anos.

A sua perda é irreparável, pelo tanto que deu ao nosso emblema e pelo que representava para todos, como exemplo de reconhecida paixão pela caravela, o Clube da cidade que o viu nascer e pelo qual cedo se apaixonou, sendo acérrimo sócio.

Estreou-se pela equipa principal do Rio Ave FC, em 1979/1980, depois de se ter estreado pelas seleções jovens de Portugal, tendo cumprido três épocas em Vila do Conde antes de se mudar para o Vitória SC, onde realizou mais três. Esteve depois no FC Porto, onde se sagrou campeão nacional e cumpriu o sonho de jogar na Liga dos Campeões. Representou ainda Marítimo, Varzim, Beira-Mar, Torreense e Vizela.

Esteve entre grandes do futebol português, como Paulo Futre, José Mourinho ou Fernando Gomes, mas foi com um brilhozinho nos olhos que, há 10 anos, numa entrevista ao site oficial do Rio Ave FC, nos falou sobre o trabalho na formação vilacondense. Recordamos com saudade o testemunho do próprio Paquito, quando nos dizia com orgulho ser “um trabalho interessante porque vejo-os partir, vejo-os ir para o escalão seguinte, vejo os miúdos crescerem […], começam a aprender a estar no campo, começam a despertar para o futebol e eu vejo essa caminhada com grande entusiasmo. Sinto-me bem, dou aquilo que sei e que aprendi”.

Paquito era atualmente treinador adjunto da Equipa B do Rio Ave FC, que foi promovida, no seu ano de estreia, na 2ª Divisão Distrital da AF Porto e que este ano se encontra a discutir os primeiros lugares da Série 2 da 1ª Divisão Distrital, da mesma associação.

Anteriormente treinou diversas equipas do futebol de formação do Clube, sendo farol e referência exemplar na passagem de testemunho como rioavista.

Perante esta perda irreparável, a Presidente do Rio Ave FC, Alexandrina Cruz, fez questão de deixar o seu testemunho e condolências.

“A notícia do falecimento de Paquito entristece-nos profundamente. Testemunhei, ao longo destes muitos anos, a paixão e alegria com que todos os dias treinava e formava os jovens da nossa formação, contribuindo decisivamente para o seu desenvolvimento, como jogadores mas sobretudo como cidadãos. Ao Paquito nada se lhe pode apontar no que ao compromisso com o Rio Ave FC diz respeito. Era o seu maior orgulho, como rioavista mas particularmente como vilacondense. A mim, muito pessoalmente, entristece-me sobremaneira a sua partida e a dor duma família que me é próxima. Não consigo deixar de pensar na sua mãe, Dª. Leopoldina, na Ana, sua esposa, no seu filho João e nos irmãos Luís e André. A eles deixo toda a minha solidariedade e força neste momento difícil. Nenhumas palavras são o bastante para a merecida e sentida homenagem ao nosso Paquito. Endereço as minhas mais sentidas condolências a toda a sua família, aos seus amigos, a toda a família rioavista e particularmente a todo o grupo de trabalho da nossa equipa B”.

O funeral realiza-se esta quarta-feira, 13 de Dezembro, pelas 15h30, na Igreja Matriz de Vila do Conde. Antes, o velório será na Igreja do Desterro, em Vila do Conde.

O legado de Paquito permanecerá para sempre no seio do Rio Ave FC. A sua memória jamais será esquecida e o seu exemplo como jogador, treinador e homem perdurará no tempo.

Obrigado, Paquito!

Paquito como jogador do Rio Ave FC na década de 80 (jogador ao meio, na fila de baixo)